Blog

Quando é realmente necessário retirar o siso? Existe o momento ideal!

Eles podem ser uma verdadeira dor de cabeça, ou melhor dor no dente, retirar o siso nem sempre é necessário mas é importante saber quando é fundamental você se livrar desse dente que é indesejado por tanta gente.

 

Nem sempre a remoção é necessária

Ao contrário do que muita gente acredita, nem sempre é necessário retirar o siso. Existem alguns casos raros em que o siso não atrapalha nem a saúde, nem geram incômodo, se o seu siso possui os requisitos abaixo, fique tranquilo pois sua única preocupação será mantê-los limpos e saudáveis:

 

  • Crescido completamente (completamente irrompido)
  • Posicionados corretamente e mordendo corretamente com os dentes opostos
  • Capaz de ser limpo como parte das práticas diárias de higiene
  • Estão saudáveis, isso é, possuem a saúde de um dente normal

 

Mas lembre-se, quem pode dar o laudo é o dentista e mesmo que seu siso não esteja incomodando, isso não quer dizer que ele possui todos os requisitos aqui citados, por isso conversar com um dentista é fundamental, assim que perceber que ambos ou apenas um siso estão nascendo.

 

Quando sei que realmente preciso retirar o siso?

 

Não há uma idade definida, a remoção do siso pode variar de pessoa a pessoa. No entanto, retirar o siso é necessário quando o dente não têm espaço para crescer adequadamente, que pode acabar causando uma série de sérios problemas como:

 

  • Infecção ou um cisto que pode danificar outras raízes ou suporte ósseo (quando o siso não sai da gengiva)
  • Criar uma passagem que pode se tornar um ímã para bactérias que causam doenças nas gengivas e infecções orais (quando o siso saí parcialmente da gengiva)
  • Eles podem se amontoar ou danificar os dentes próximos.

 

Além destes, podem surgir outros problemas que variam de indivíduo à indivíduo. De acordo com a American Dental Association, retirar o siso é necessário se você experimentar alterações na área desses dentes, tais como:

 

  • Dor
  • Infecção repetida de tecido mole atrás do último dente inferior
  • Sacos cheios de fluido (cistos)
  • Tumores
  • Danos aos dentes próximos
  • Gengivite
  • Extensa cárie dentária

 

No entanto é importante lembrar que nem sempre a decisão sobre retirar o siso é clara, estes são sintomas de que você precisa estar alerta, mas é a frequência a um dentista especializado que realmente irá definir qual o momento ideal para retirar o seu siso! Você pode entrar em contato agora mesmo com um especialista, através desse link: https://www.clinicaichiban.com.br/contato/

Estamos te esperando 🙂
Equipe Ichiban.  

Mãe, você sabe o que fazer quando os dentes do bebê estão nascendo?

Maio é o mês das mães, e a clínica Ichiban quer oferecer uma dica importante sobre o que fazer quando os dentes do bebê estão nascendo. Para criança pode ser muito incômodo e para os pais mais uma preocupação, dar brinquedos para o bebê morder não é a melhor opção!

 

Como saber que os dentes do bebê estão nascendo

Apesar de ser um momento de felicidade também pode ser um momento desafiador, tanto aos pais quanto para criança, por isso é importante entender o que o seu bebê está tentando te transmitir sobre dor ou incômodo e descobrir de cara se são os dentinhos nascendo.

 

É relativamente simples, se seu filho está entre 4 à 6 meses de idade, têm se mostrado mais irritadiço e colocando tudo que vê na frente na boca, se prepare pois esses são os principais sinais de que os dentes do bebê estão nascendo.

 

O primeiro passo é checar a gengiva da criança, se estão avermelhadas e inchadas para confirmar, assim como um aumento significativo da saliva. O segundo passo e ficar tranquilo pois com as dicas e o apoio certo, essa fase vai ser mais gratificante do que preocupante.

 

O que fazer se os dentes do meu bebê estão nascendo?

Por conta do excesso de saliva que está sendo produzido você pode manter o queixo do bebê e a boca sempre secas para evitar irritações e erupções cutâneas, o que só deixará o bebê mais desconfortável, certifique-se de que o pano para limpá-lo está devidamente limpo.

 

Esfregar as gengivas delicadamente com um pano macio e úmido pode oferecer grande alívio ao seu bebê. Ele irá estimular as gengivas e criar uma sensação de massagem. Para um efeito de entorpecimento adicional, coloque o pano na geladeira ou experimente uma colher esterilizada gelada.

 

Se o seu bebê já começou a comer sólidos, você pode dar frutas frias ou legumes como cenouras e pepinos para roer (apenas certifique-se de sempre ficar de olho neles enquanto comem).

 

Evite a qualquer custo que seu bebê fique colocando qualquer objeto e brinquedo na boca, pois podem estar cheios de bactérias que por sua vez podem causar infecções, além disso fique de olho nos pequenos objetos.

 

Procure um dentista especializado

Poucos pais sabem mas o acompanhamento odontológico pode ser feito desde a infância, é claro que não tão cedo, mas ter o contato de um dentista de confiança é uma boa ideia para quando os dentes do bebê estiverem um pouco mais “maduros”.

 

Você irá precisar de acompanhamento para saber como cuidar dos dentes de seu filho, assim como para garantir dentes e boca saudáveis.

 

Existem aparelhos e produtos que são desenvolvidos especificamente para ajudar a amenizar o incômodo e ajudar nesta fase. O dentista poderá te ajudar a entender quais as melhores opções para cuidar da boca da criança.

 

É importante lembrar que você precisa procurar um dentista especializado em crianças. Na clínica Ichiban, a Dra. Leidielly é a responsável por tratar os pequenos. Quer agendar uma conversa ou uma consulta? Este é o contato: https://www.clinicaichiban.com.br/contato/

Estamos te esperando 🙂
Equipe Ichiban.  

8 Formas de tornar sua visita ao dentista mais simples e fácil!

Fazer uma visita ao dentista pode ser muito difícil para algumas pessoas. Se você é ou conhece alguém que morre de medo de sentar na cadeira do consultório odontológico, essas são nossas dicas para deixar a consulta muito mais fácil de encarar.

 

Seja honesto sobre seu receio: o primeiro passo é admitir para você mesmo, assim como para o dentista, que você não está muito confortável com a consulta, aceitar seu receio, ficar tranquilo(a) com o fato de que é normal ter essa reação e que não há problema algum.

 

Marque a consulta para o meio do dia: se você pretende fazer uma visita ao dentista, garanta que seu horário não será logo pela manhã ou ao final de todo o dia, assim você previne a ansiedade logo cedo e não corre o risco de ficar o dia todo pensando no assunto ou então de chegar no consultório depois de um dia exaustivo.

 

Converse sobre consultas que não gerem estresse: pode ter certeza de que o dentista que irá te atender com certeza já teve experiência com outras pessoas que apresentavam receio. Converse sobre quais são as alternativas do consultório e o que pode ser feito nestes casos. Entrar em contato com um consultório que tenha a política de atendimento humanizado é uma das melhores alternativas!

 

Pergunte ao dentista sobre quais serão os procedimentos: antes da consulta você está permitido(a) a conversar com o dentista sobre quais serão os procedimentos que você passará, passo a passo, se você estiver com um dentista de confiança e compreensivo ele fará questão de tranquilizar sobre cada aspecto do procedimento.

 

Leve alguém que você ama junto: você não precisa passar por isso sozinho(a), você pode levar algum familiar ou amigo junto e a pessoa te ajudará a ficar mais calmo antes e após a consulta.

 

Combine um sinal de alerta com seu dentista: se estiver muito nervoso(a) você pode combinar algum sinal de alerta com seu dentista, assim você garante que se estiver passando mal ou com falta de ar você terá uma forma de comunicar ao dentista para parar o procedimento!

 

Faça uma programação prazerosa após a consulta: a sua visita ao dentista não é mais como quando você era criança, você não receberá um brinquedinho ao final da consulta como uma recompensa pelo “transtorno”. Mas você pode sim se recompensar com uma programação boa após sair do consultório, assim você irá ficar mais animado e feliz durante todo o tratamento.

 

Esteja convicto de que confia no dentista!: o mais importante é ter certeza de que o profissional que irá te atender será compreensivo e qualificado. Estar certo de que o dentista é o certo para realizar sua consulta, fará toda a diferença.

Outra dica importante é se certificar de que o dentista é especializado no segmento que você precisa. Se é para crianças, cirurgias ou procedimentos estéticos há uma especialização para cada um destes.

 

Na clínica Ichiban além de possuirmos um atendimento humanizado, somos especialistas em diversas áreas da odontologia, além é claro de oferecer procedimentos com tecnologia e profissionalismo. Agende uma consulta conosco agora mesmo: https://www.clinicaichiban.com.br/agendamento/

 

Estamos te esperando 🙂
Equipe Ichiban.

Segundo dentistas essa é a forma EXATA de como escovar os dentes!

Seu sorriso diz muito sobre sua saúde como um todo, pode parecer um simples hábito, mas acredite, a maioria das pessoas não sabe como escovar os dentes corretamente, ou não estão colocando seus conhecimentos em prática.

 

Regras básicas de como escovar os dentes corretamente

Seja pelo gosto da pasta, a refrescância ou qualquer tipo de incômodo, a verdade é que muita gente tem preguiça ou não gosta de escovar os dentes. No entanto este é um hábito básico de higiene e se você quer ter a certeza de que terá dentes saudáveis, mesmo na velhice, é melhor começar a cuidar deles corretamente a partir de hoje!

 

 

  • Escove os dentes pelo menos duas vezes ao dia;
  • Não escove os dentes com pressa, tire um tempo para fazer esse trabalho completo;
  • Use os “utensílios” corretos: escova de cerdas macias, pasta com flúor;
  • Escove suavemente com movimentos curtos de ida e volta;
  • Lembre-se de escovar as superfícies externas, internas e mastigatórias de seus dentes;
  • Mantenha sua escova e todas as ferramentas limpas!
  • Gaste o mesmo tempo (ou mais) para escovar sua língua;
  • É interessante investir em um limpador de língua;
  • Não esqueça JAMAIS do fio dental (ele é muito importante)
  • Escove suas gengivas de forma gentil;
  • Gaste o tempo que for necessário para fazer uma boa limpeza diariamente;

 

 

Outras dicas profissionais fundamentais de como escovar os dentes

Não coloque a mão ou outros objetos que possam estar com bactérias, não abra embalagens com os dentes e resista à tentação de usar palitos de dente ou outros objetos que possam ferir suas gengivas e deixar entrar bactérias.

 

A falta de cuidado diário com os dentes é séria e além de poder causar problemas futuros pode causar doenças realmente graves. Procure um dentista imediatamente caso esteja com algum destes sintomas:

 

  • Gengivas vermelhas, sensíveis ou inchadas;
  • Gengivas que sangram quando você escova ou usa fio dental;
  • Gengivas que começam a se afastar de seus
  • Dentes permanentes com mobilidade;
  • Sensibilidade incomum para quente e frio
  • Mau hálito persistente ou um sabor incomum em sua boca;
  • Úlceras na boca ou feridas que não cicatrizam

 

Além destes casos e de manter uma boa higiene bucal diariamente, é importante lembrar que o dentista deve ser visitado pelo menos 2 vezes ao ano (em casos em que a saúde bucal está excelente), para revisões e limpezas.

 

Se você se encontra em Londrina ou região, pode entrar em contato conosco, ficaremos felizes em ajudar e proporcionar o atendimento humanizado e com alta tecnologia que você merece: https://www.clinicaichiban.com.br/contato/

 

Até a próxima,

Equipe Ichiban.

Dentes de leite: o que fazer quando os dentes estão nascendo?

Os famosos dentes de leite, chamados dentes decíduos, são sempre um ponto de interrogação para os pais, principalmente os de “primeira viagem”. Durante o primeiro ano de vida, nascem os primeiros dentes do bebê. Cada criança reage de uma forma e os pais precisam ser pacientes  para lidar com os sintomas, que podem incluir irritação e vermelhidão na gengiva.

 

Para ficar mais fácil entender quais são os cuidados necessários, é muito importante que os pais conheçam a cronologia da erupção dos dentes de leite. Mas vale ressaltar que cada organismo tem seu próprio ritmo. De qualquer modo, os primeiros aparecem por volta dos seis meses de vida.

 

Os primeiros dentes de leite

Como dissemos, os primeiros dentes de leite a erupcionar surgem por volta dos seis meses de idade e são os incisivos centrais inferiores. Por volta de um ano, surgem os incisivos centrais superiores e os laterais. Aos 18 meses, erupcionam os primeiros molares de leite e, aos dois anos e meio, a dentição (de leite) fica completa com os caninos e segundos molares, formando os 20 dentes de leite que constituem as arcadas.

 

Sintomas

Durante a dentição, alguns bebês ficam mais agressivos do que o habitual por causa da dor e inchaço nas gengivas. Os sintomas geralmente aparecem cerca de três a cinco dias antes do dente nascer (mas há casos em que duram semanas), e desaparecem assim que  os dentes rompem a pele. Mas há alguns bebês sortudos que não sofrem absolutamente nada com o nascimento dos primeiros dentinhos.

 

Nessa fase o bebê passa a ficar mais tempo com os seus brinquedos pelo chão e acaba colocando a mãozinha na boca mais vezes por causa do desconforto gengival. Esta pode ser a causa das diarreias, vômitos e febre. Estes sintomas não estão relacionados diretamente ao nascimento dos dentes de leite, mas ao contexto em que ele acontece e em como a criança age para aliviar o incômodo.

 

Como aliviar os sintomas

Quando os dentes de leite nascem, a sensação traz desconforto mesmo. Para aliviar, os mordedores são ótimas opções, já que que ajudam a criança a coçar a gengiva. Alguns modelos podem ser colocados na geladeira. A baixa temperatura ajuda a amenizar a dor.

 

Outra coisa importante é não deixar de higienizar os dentes da criança. É importante não ficar com pena do bebê por causa da irritação e desconforto e pular essa parte. A falta de higienização pode levar a infecções e outros problemas maiores.

 

Dessa maneira, quando aparecerem os primeiros dentes da frente, a limpeza deve ser feita com um tecido macio e limpo, umedecido em água limpa. Já quando surgirem os outros dentes, a limpeza já pode ser feita com uma escova de dente macia e sem pasta de dente, apenas molhada em água limpa.

A pasta de dente pode começar a ser utilizada quando o bebê tiver todos os dentes de leite. Durante a infância, é recomendável que use a pasta infantil, pois possui flúor em quantidade recomendada para a idade. Para tirar dúvidas a esse respeito, consulte um dentista.

É importante procurar um profissional de confiança. Entre em contato com a gente e agende uma avaliação. Temos excelentes profissionais para atender o seu filho! Clique aqui!

 

Continue acompanhando o blog para saber mais sobre saúde bucal. No artigo anterior, falamos sobre sensibilidade nos dentes. Siga também as nossas redes sociais e tenha acesso a curiosidades, informações e dicas que farão toda a diferença no seu bem-estar e qualidade de vida.

 

Abraços,

Clínica Ichiban

Sensibilidade nos dentes? Aqui está o tratamento mais efetivo e seguro!

Te dá aquela invejinha quando você vê alguém morder um picolé e nem fazer cara feia por causa de sensibilidade nos dentes? Pois é, esse desconforto não acontece com todo mundo, mas é incômodo para a maior parte das pessoas: cerca de 57% da população adulta. Isso acontece quando ocorre uma erosão do esmalte do dente e quando a gengiva se retrai.

 

Mas calma! Se você sofre desse mal que é a sensibilidade nos dentes, fique tranquilo porque existe tratamento. É sobre isso que falaremos neste artigo. Acompanhe!

 

O que é sensibilidade nos dentes

Como dissemos acima, pode acontecer em duas circunstâncias. No primeiro caso, é quando ocorre dano à capa dentária, que deixa de ser impermeável. Assim, a dentina, estrutura mais profunda do dente, começa a ficar exposta. Por ser cheia de terminações nervosas, quando entram em contato com altas ou baixas temperaturas, disparam sinais dolorosos.

 

O segundo caso tem a ver com a gengiva que, quando agredida por bactérias ou por uma escovação brusca demais, inflama e se retrai. Quando isso acontece, ela diminui de tamanho e deixa a raiz do dente, que não tem esmalte, descoberta. Como a dentina também fica exposta, causa sensibilidade nos dentes ao entrar em contato com alimentos em extremos de temperatura.

 

O que aumenta a sensibilidade nos dentes

Já explicamos o que acontece para causar o desconforto, mas existem alguns gatilhos que aumentam ainda mais a dor de quem já sofre com o problema. Separamos uma lista dos mais comuns:

 

Má higiene

 

Restos de comida dão brecha a bactérias por trás de erosão dentária, retração das gengivas e cáries – causando a exposição da dentina e a sensibilidade nos dentes.

 

Escovação bruta

Mão pesada na hora da limpeza bucal faz a gengiva se retrair em busca de proteção, deixando a sensível dentina e causando dor.

 

Dente quebrado

Uma rachadura ou o buraco de uma obturação que caiu são o suficiente para expor a dentina e provocar dor.

 

Mas então, o que fazer para melhorar? É isso que vamos te explicar…

 

Sensibilidade nos dentes: tratamento

Realmente existe alguns meios para tratar a sensibilidade. É preciso se atentar e realmente seguir à risca essas recomendações para não precisar mais ficar sem tomar sorvete ou aquele chocolate quente.

 

Visita ao dentista

Restaurações com resina líquida substituem o esmalte lesado. Em outros casos, tenta-se até pôr a gengiva de volta no lugar com cirurgia.

 

Cerdas macias

Há escovas disponíveis que facilitam uma higienização bucal mais delicada. Assim, a gengiva para de recuar e a dentina é preservada.

 

Enxaguante com flúor

A substância reforça os prismas que integram o esmalte e o deixam impermeável. Já pastas específicas para sensibilidade trazem efeito anestésico.

 

É importante procurar um profissional de confiança e, claro, comparecer em todas as consultas de retorno. E se quiser saber mais sobre sensibilidade nos dentes, entre em contato com a gente e agende uma avaliação. Temos excelentes profissionais para te atender! Clique aqui!

 

Abraços,

Clínica Ichiban.

Dentista em Londrina | Clínica Ichiban | Precisão Oriental em Odontologia

Aparelho dental para crianças: método seguro e efetivo!

Desde o desafio de passar pela fase difícil que é o nascimento dos primeiros dentes, até a começar a pensar em aparelho dental para crianças, os cuidados corretos com a saúde bucal infantil é uma preocupação que todo pai têm e com razão. É importante lembrar que os cuidados que você tem com o seus dentes, não são os mesmos para seus filhos, apesar de haver semelhanças.

 

Saiba qual o momento certo para levar seu filho ao dentista

A partir da aparição dos dentes, ou até mesmo quando eles começarem a nascer, levar seu bebê em um dentista especializado na idade, é fundamental. O acompanhamento odontológico desde cedo é importante para que o dentista passe as instruções corretas sobre como cuidar da boca de seu bebê diariamente, além de garantir de que esteja tudo certo com sua saúde bucal. Daí por diante, a frequência deve ser mantida de acordo com a orientação de seu dentista.

 

Quando sei que meus filhos PRECISAM de aparelho?

Nem todas as crianças precisam de aparelho, mas é importante saber que a maioria delas irão precisar em algum momento. E como saber se seu filho precisa ou não? Muitas vezes não é óbvio então não trata-se apenas de visualizar por si mesmo se seu filho precisa usar aparelho. A ação ideal é levá-lo ao dentista e perguntar se ele precisa ou não de um aparelho dental para crianças.

 

É claro que se você manteve a frequência ao dentista com certeza ele terá notado a necessidade da criança. Por este e outros motivos é importante ter um ortodontista de confiança especializado na área infantil.

 

Qual o melhor método para crianças?

O melhor método será indicado pelo dentista que você escolheu para tratar dos dentes do seu filho, é importante confiar na indicação do profissional pois ele saberá dizer qual a melhor e mais segura opção para o caso do pequeno. É importante saber que quanto mais cedo tratado o problema melhor, uma vez que vai ficando mais complicado resolver a situação mais tarde.

 

O cuidado com a saúde bucal infantil é um dos mais importantes, pois é nos primeiros anos que acabamos definindo hábitos e saúde bucal para a vida toda! Escolha uma clínica renomada e que possua profissionais especializados no assunto que irão tratar seu filho e sua saúde de forma humanizada e profissional. Quer uma dica? É só entrar em contato através desse link: www.clinicaichiban.com.br/contato/

 

Abraços,

Clínica Ichiban 

Dentista em Londrina | Clínica Ichiban | Precisão Oriental em Odontologia

5 Hábitos que danificam os dentes e você não sabe

Manter a saúde bucal perfeita não é uma tarefa simples para ninguém, apesar de alguns hábitos diários realmente prevenirem males maiores, ainda existem outras ações que danificam os dentes e que pouca gente sabe. E se você já mantém os cuidados básicos corretamente, mas seus dentes ainda não possuem a saúde que você deseja, é bem provável que você esteja errando em alguns dos aspectos abaixo.

 

Saúde mental

Pouca gente sabe que a saúde mental é um dos fatores que, se negligenciada, danificam os dentes. O estresse e a ansiedade são os campeões, em excesso podem chegar a causar até a queda! Foi o caso da atriz Demi Moore que compartilhou a história e explicou que dois de seus dentes quebraram devido a baixa imunidade causada pelo excesso de estresse.

 

Assim como todo o corpo, seus dentes precisam de vitaminas, minerais e nutrientes para estarem saudável. E como sabemos, a saúde mental é uma grande responsável por manter  o organismo em perfeito funcionamento. Se há disfunção nas substâncias cerebrais é provável que isso será refletido em todo o corpo, inclusive na sua saúde bucal. A depressão também afeta a rotina de cuidados dentais, uma vez que pode impedir o indivíduo a possuir o mínimo cuidado com a saúde.

 

Ranger os dentes

Pode parecer meio óbvio, mas quem possui o hábito desde a infância, nem mesmo se dá conta de quando está rangendo os dentes. Não é apenas em situações de estresse, ranger os dentes durante a noite e corriqueiramente é comum para várias pessoas e é um dos hábitos que mais danificam os dentes. Aos que possuem o problema, evitar alimentos e sucos cítricos é de grande ajuda, mas acima de tudo, entrar em contato com um dentista para descobrir a solução ideal para seu problema.

 

Existem vários motivos que podem estar te levando a ranger os dentes e o dentista é um dos profissionais que pode te auxiliar de forma perfeita para resolver a situação e evitar o desgaste exagerado.

 

Alimentação inadequada

Nós já falamos algumas vezes sobre alimentos que podem manchar os dentes e os que também podem ajudar a branquear. Mas a alimentação adequada e balanceada é mais importante do que apenas a influência na coloração dental. A falta de alimentos antiinflamatórios e antioxidantes na dieta pode desequilibrar o microbioma bucal e causar uma série de problemas, sem contar as cáries que são causadas pelo excesso de doce. Procure manter uma alimentação equilibrada e saudável pela saúde de seu corpo e de seu sorriso. 🙂

 

Falta de rotina

A rotina de cuidados bucais é um dos fatores mais importantes para manter a saúde bucal, escovar os dentes corretamente e com as ferramentas adequadas, usar o fio dental e enxaguante bucal são alguns dos exemplos que não só não danificam os dentes, mas auxiliam para manter a boca saudável. É importante escolher as ferramentas corretas (escova, enxaguante  e pasta de dente ideais) e adequar uma rotina perfeita para você e para o que a sua boca precisa. Uma boa dica é conversar com seu dentista e juntos definirem os melhores hábitos diários para você!

 

Não manter frequência no dentista

Pode parecer suspeito ouvir isso de um dentista, mas a verdade é que muita gente não sabe a importância de manter a frequência no ortodontista. Manter frequência em um dentista de confiança é tão importante quanto escovar os dentes todos os dias, evita problemas graves e ajuda a manter sua saúde bucal verdadeiramente perfeita.

 

Quer uma dica de onde você pode encontrar o dentista ideal para você e juntos descobrir quais são os hábitos perfeitos para manter sua boca saudável? Nós podemos te ajudar, é só entrar em contato neste link: clinicaichiban.com.br/contato/ Lembrando que qualquer dúvida você também pode perguntar! Pode ser por aqui, ou por telefone: tel.

 

Abraços,

Clínica Ichiban 

Dentista em Londrina | Clínica Ichiban | Precisão Oriental em Odontologia

Ortodontia: qual a melhor idade para colocar aparelho nos dentes?

É muito comum ver por aí adolescentes usando aparelho nos dentes, né? Mas apesar de ser a fase mais comum para utilizá-lo, não é a única. Não existe uma idade correta para aderir o tratamento, mas será que existe a mais indicada? É sobre isso que falaremos no artigo.

 

Já adiantamos que não existe idade mais indicada, mas existem cuidados específicos que cada fase exige. Por exemplo, na infância, a atenção é voltada principalmente às cáries que a higienização incorreta pode causar. Já os idosos, devem tomar cuidado com doenças como xerostomia, conhecida pela sensação de boca seca, por exemplo.

 

Aparelho nos dentes

Como dissemos, o aparelho nos dentes pode ser utilizado em qualquer idade, desde crianças até idosos, vai depender da finalidade proposta e precisa ser avaliado pelo dentista.

 

O que muita gente não sabe é que os aparelhos não precisam ser utilizados apenas em caso de dentes tortos ou desalinhados, por isso, a avaliação pode ser cedo, quando a criança estiver na primeira fase da troca de dentição, que acontece por volta dos 6 anos.  Nesse momento, já é possível o profissional fazer uma análise de mordida cruzada, mordida em topo, cáries, estrutura óssea, entre outras.

 

Dependendo do que o dentista notar, ele pode intervir com aparelho nos dentes. É possível obter excelentes resultados com os ossos da face que ainda não estão completamente calcificados e fazer as correções necessárias, como de quem tem céu da boca estreito, por exemplo. Nesse caso, é preciso um acompanhamento nas trocas dentárias pelos anos seguintes. Lembrando que não são todos os casos e são aparelhos específicos.

 

E os adultos?

Muitos se preocupam com a questão estética, acreditando que aparelho nos dentes é coisa de adolescente e que depois de certa idade é feio. Se você pensa assim, não se preocupe! Hoje, existem várias opções que unem estética e saúde, com aparelhos quase imperceptíveis. O mais recomendado os os aparelhos fixos que são mais rápidos e eficazes, mas novamente vale ressaltar que cada caso é um caso.

 

Depois dos 60 anos, o aparelho nos dentes precisa de um cuidado diferenciado porque, diferente dos mais jovens, há alterações no tecido ósseo que sustenta os dentes, o que normalmente gera perdas dentárias. Justamente, por isso, o tratamento deve ser mais suave e o aparelho não pode exercer uma força tão grande nos dentes.

 

É importante procurar um profissional de confiança e, claro, comparecer em todas as consultas de manutenção. E se quiser saber mais sobre os tipos de aparelhos dentais, entre em contato conosco e agende uma avaliação. Temos excelentes profissionais para te atender! Clique aqui!

 

Abraços,

 

Clínica Ichiban 

Dentista em Londrina | Clínica Ichiban | Precisão Oriental em Odontologia

Tipos de aparelhos dentais: diferenças e indicações

É dito e feito, a maioria das pessoas que entra em um consultório com a suspeita de usar aparelho nos dentes é: “Quando? Fixo ou móvel? Tem colorido?”, mas depois que passa a novidade e uma possível empolgação, a dúvida seguinte é se vai tirar logo. Você ou alguém que você conhece, certamente já utilizou essa maneira de corrigir os dentes, mas você sabe quais os tipos de aparelhos dentais que existem?

 

Vamos expor aqui um pouquinho do universo ortodôntico para explicar os mais comuns. No geral, eles são divididos em fixos, quando não é possível retirá-los, e móveis, quando eles podem ser removidos em momentos específicos do dia. Mas ainda existem outras especificações com relação aos tipos de aparelhos dentais. Acompanhe no artigo:

 

Tipos de aparelhos dentais

Utilizamos acima a palavra “ortodôntico” porque são os mais comuns e realizam pequenas movimentações dentárias, mas também existem os ortopédicos, utilizados nas correções de alterações ósseas de crescimento.

 

Aparelhos ortopédicos: são colocados em crianças e adolescentes durante a fase de crescimento, inibindo ou estimulando o desenvolvimento dos ossos, ou ainda, redirecionando uma tendência de crescimento desfavorável. São contra-indicados para adultos, porque já passaram da fase de crescimento.

 

Aparelhos fixos: são compostos por bráquetes que podem ser metálicos, plásticos ou de porcelana, que suportam o arco metálico. Esse tipo de aparelho entre os dentes superiores e inferiores causam um melhor engrenamento e alinhamento, proporcionando um sorriso equilibrado.

 

Aparelhos móveis: movimentam mais lentamente os dentes e de maneira bastante limitada. Não são recomendados para todos os casos.

 

Aparelho lingual: existem aquelas pessoas que não querem de jeito nenhum que o aparelho apareça, então existem algumas possibilidades mais estéticas, porém, não são recomendadas para todos os casos. No aparelho lingual, por exemplo, os braquetes ficam na parte interna dos dentes, o que não interfere no visual do sorriso. Porém, por estar em contato direto com a língua, ele exige um tempo maior de adaptação. Geralmente, é indicado para tratamentos mais rápidos e menos complexos.

 

Autoligável: sabe as famosas borrachinhas do aparelho fixo tradicional? Não existem nesse. Ele possui uma tecnologia que segura o fio que liga os braquetes. E melhor ainda, diminui consideravelmente o tempo do tratamento, já que é mais eficiente, além de contribuir para a higiene. Sem as borrachas, a limpeza é facilitada.

 

Alinhador: esse é um dos tipos de aparelhos dentais mais comuns, que unem estética e funcionalidade. É removível e transparente, praticamente imperceptível no sorriso. As placas são desenvolvidas de acordo com a arcada dentária de cada paciente e faz uma movimentação gradual dos dentes até que o resultado seja alcançado.

 

Esses são alguns dos tipos de aparelhos dentais mais famosos, mas existem muitos outros que são escolhidos pelo dentista para cada caso. Lembrando que é muito difícil prever quanto tempo dura um tratamento, porque depende de vários fatores como resposta biológica do organismo, tipo de má oclusão, tipo de aparelho indicado e colaboração do paciente.

 

É importante procurar um profissional de confiança e, claro, comparecer em todas as consultas de manutenção. E se quiser saber mais sobre os tipos de aparelhos dentais, entre em contato conosco e agende uma avaliação. Temos excelentes profissionais para te atender! Clique aqui!

 

Abraços,

 

Clínica Ichiban