Curiosidades

Seu filho precisa de aparelho ortodôntico?

Será que seu filho precisa de aparelho ortodôntico? Inegavelmente o desejo da maioria das pessoas é contar com um sorriso bonito. Isso sem dúvidas faz com os cuidados com a saúde bucal estejam presentes na rotina do dia a dia.

Uma forma de preservar o alinhamento dos dentes, sua beleza e saúde é sempre levar as crianças, desde bem pequenas, de forma rotineira ao Cirurgião-Dentista. Ele ajudará a acompanhar o desenvolvimento da arcada dentária, da mordida e etc. Assim logo que os primeiros “desvios” forem percebidos ele já poderá indicar o melhor tratamento.

Além disso, as consultas habituais ajudam a estabelecer procedimentos de limpeza e higiene básicos dos dentes, língua e garganta do paciente. Além disso, o profissional pode manter um acompanhamento de toda a evolução do paciente, seja pelos tratamentos que  já fez, fará ou está realizando como do período mais indicado de cada um deles.

Colocar Aparelho Ortodôntico

Em primeiro lugar é preciso ressaltar que um das procuras mais comuns nos consultórios, quando o assunto é tratamento para crianças e jovens, é o tratamento com aparelho ortodôntico. Seja com a finalidade de deixar o sorriso, mas bonito, como também de cuidar da saúde, corrigir a mordida ou tratar problemas mais graves nos dentes.

Afinal, o procedimento, que costuma levar um período desde seu inicio ate a finalização, tem como fim diversos benefícios para a saúde bucal e também a parte estética dentária. Contudo, algumas crianças, assim como seus pais ficam um pouco inseguros quando o assunto envolve a utilização desses aparelhos.

Com o fim de retirar as suas dúvidas confira agora o que fazer se o seu filho precisar de aparelho ortodôntico. Como proceder para convencer a criança ou adolescente que é sua melhor opção e porque isso acontece.

Porque Seu Filho Precisa De Aparelho Ortodôntico?

Aparelho ortodôntico

Antes de qualquer coisa, se faz fundamental esclarecer porque uma criança ou adolescente precisa de aparelho ortodôntico. Nesse sentido, qual a idade correta que o tratamento pode ser iniciado e o que motiva para que se torne necessário.

O seu filho precisa de um aparelho ortodôntico para:

  • Corrigir a Mastigação;
  • Melhorar o posicionamento dentário;
  • Ter um sorriso bonito;
  • Promover equilíbrio entre os dentes;
  • Melhorar a fala;
  • Aumentar a capacidade de respiração.

A saber, o aparelho ortodôntico é visto como a maneira de auxiliar e melhorar a saúde bucal e a estética dos dentes, com objetivo de proporcionar um sorriso mais bonito e saudável.

O aparelho ortodôntico se divide nas seguintes categorias:

·        Aparelho ortodôntico Fixo:

É o modelo de aparelho que fica de forma fixa nos dentes, ou seja, suas peças são grudadas na parede dentária com produtos próprios. Dessa forma o paciente se mantém com o aparelho devendo realizar manutenções mensais. Visando garantir que tudo está em ordem e que a higiene tem sido feita de forma adequada.

De fato, é muito comum verificar pessoas com esse tipo de aparelho, principalmente jovens, que são os mais afetados com problemas dentários de mastigação. Bem como posição de mordida e até mesmo dentes separados.

Dessa maneira o aparelho fixo serve para corrigir tanto problemas na mastigação, encaixes na mordida e até deformidades ósseas leves. O tratamento deve ser feito preferencialmente com o acompanhamento do cirurgião-dentista, isso porque ele realizará a análise dos resultados obtidos. Além disso, ele também vai indicar o que precisa ser corrigido e em qual etapa do tratamento deverá ser feita esta correção.

Eventualmente, crianças menores, que ainda possuem dentição de leite não podem se submeter a esse procedimento. Já que ainda estão sujeitos as trocas dos dentes de leite pelos permanentes.

Estrutura

O aparelho ortodôntico fixo costuma ter sua estrutura em metal, ficando alojado sobre os dentes. Dessa maneira sendo responsável por conseguir ainda que de maneira lenta que os dentes mudem de posição. Por consequência ele transforma o sorriso, dando ao paciente dentes mais unidos e tratando outros problemas dentários.

·         Móvel:

Outro tipo de aparelho ortodôntico é o móvel, esse formato é indicado principalmente para crianças que ainda não tenham trocado todos seus dentes de leite. Isso porque ele pode ser retirado e não impede com que a troca dos dentes ocorra. Ademais o aparelho móvel é o responsável por tentar amenizar os problemas dentários de uma forma menos invasiva. Inclusive corrigindo, ainda que de maneira mais suave que o aparelho fixo, o posicionamento dos dentes.

Inegavelmente muitos pacientes que se dedicam a utilização correta do aparelho móvel conseguem reverter a situação e acabam não precisando posteriormente utilizar o fixo.

Sem dúvidas é fundamental que o uso do aparelho ortodôntico seja acompanhado por cuidados de higiene diários e por profissionais capacitados, da mesma forma como ocorre com o aparelho fixo. Somente o dentista especializado poderá indicar se existe progresso e quais os tratamentos serão úteis em cada caso.

Como Convencer a Criança ou Adolescente a Utilizar Aparelho Ortodôntico?

Aparelho ortodôntico

Sem dúvidas, um dos maiores problemas para os pais e responsáveis é convencer seus filhos a utilizarem o aparelho móvel da forma correta. Bem como quando necessário demonstrar que o aparelho fixo resouverá os problemas dentários e que os resultados serão satisfatórios.

Dessa forma, o segredo está em como você apresenta seu filho aos espaços de odontologia. É muito importante que a criança esteja habituada a ir ao dentista. Como também que ela enxergue nele confiança, e tenha uma relação positiva com quem cuida de sua saúde bucal.

Dessa maneira, é fundamental que os pais trabalhem essa parte com seus filhos. Uma dica que pode ajudar é sempre levá-los em clínicas odontológicas desde a aparição dos primeiros dentes de leite.

Esse contato auxilia para que no futuro quando procedimentos se tornem necessários a criança ou jovem não tenha resistência e confie no profissional que irá realizar o tratamento. Outro detalhe é sempre procurar por um profissional realmente capacitado a atender esse público mais jovem.

Dessa forma, uma pessoa que tenha como demonstrar suas habilidades de forma lúdica e que interesse aos pequenos e adolescentes. Para que assim entendam a importância dos procedimentos e dos cuidados dentários.

Aparelho Ortodôntico – Para Crianças e Adolescentes

Por fim, a utilização de aparelhos ortodônticos é a melhor solução para crianças e adolescentes que precisam de tratamentos para corrigir desde a posição dentaria como outros problemas de dentição.

Dessa maneira, o tratamento feito da forma correta irá produzir como resultado, dentes mais bonitos ao longo do tempo e melhor qualidade na saúde bucal. Por isso, se seu  filho precisa de aparelho ortodôntico procure a clinica certa para realizar a avaliação e o tratamento.

Na clinica Ichiban contamos com profissionais altamente qualificados para te atender e garantir o sorriso de sua criança ou adolescente. Venha conferir !

 

As 7 principais doenças bucais, e como evitá-las.

Doenças Bucais? Sem dúvidas existem doenças que afetam a nossa saúde bucal que acabam atingindo os dentes, gengivas, garganta entre outros órgãos, principalmente daqueles de quem não tem hábitos de higiene cotidianos, mas quais são elas?

A falta de alguns cuidados gera por conseqüência problemas que ocasionam dores e incômodos na região bucal. Além de comprometer toda saúde dessa parte de nosso corpo e afetar muito na qualidade de vida.

Ter um sorriso bonito se tornou o grande objetivo de muitos, contudo além da beleza,o sorriso saudável indica que seu organismo está em boas condições. A boca é a porta para muitas doenças, isso porque através dos dentes, língua e garganta muitos vírus e bactérias entram na corrente sanguínea e podem atingir outros órgãos.

Higiene bucal ajuda no controle de doenças bucais

Eventualmente, algumas doenças acabam acometendo ainda aquelas pessoas que tem uma rotina habitual de cuidados dentais, mas com muito mais dificuldade.

Muitas pessoas no entanto ainda não tem conhecimentos sobre todos tipos de doenças bucais existentes e acabam deixando a desejar em alguns pontos, como por exemplo não realizando consultas rotineiras com o dentista, não tendo uma rotina diária de higiene bucal ou mesmo, não realizando a limpeza corretamente.

Com o fim de te auxiliar a evitar doenças bucais, confira agora quais são 7 principais doenças bucais e veja como você pode evitar a presença delas na sua vida.

O Que São Doenças Bucais?

Primeiramente, entender o que são doenças bucais é fundamental para verificar e conseguir compreender algumas delas. Dessa maneira, as doenças bucais são problemas ocasionados na região da boca.

Nesse sentido, que podem ter causas diversas como, por exemplo, falta de higiene e cuidados com profissional capacitado. Bem como pode ter motivações de vírus e bactérias.

Essas doenças afetam regiões como dentes, gengiva ou a parte anatômica da boca. E não dar a devida atenção e realizar cuidados para evitar pode desencadear ainda outros problemas em sua saúde.

Um deles está relacionado a comprometimento cardiovascular ou até mesmo casos de diabetes que tem como motivação as doenças bucais.

7 Doenças Bucais E Como Evitá-Las

Confira quais são as doenças bucais mais comuns e formas de evitá-las:

#1 – Cáries:

Doenças Bucais

Um dos problemas muito comuns encontrados tanto em crianças como adultos são as cáries. Em termos técnicos significa que a parte de calcificação dos dentes está danificada, ou seja, a estrutura de esmalte, cemento e a dentina.

Entre as motivações para esse tipo de doença bucal está principalmente o hábito de comer muito doce. Já que o açúcar é responsável por produzir algumas bactérias nos dentes. E elas deixam como conseqüência as cáries.

O principal sintoma de quem está com esse problema são desconfortos e dores dentais. Que podem ser sentidas ao mastigar ou morder.

Para evitar o segredo está na redução do consumo de doces e nos cuidados de higiene. Evite consumir produtos com açúcares e sempre que realizar a ingestão deles escove e higiene os dentes para evitar as bactérias.

#2- Doenças Bucais: Placa Bacteriana

Outra doença bucal que tem como causa bactérias são as placas. A saber se trata de uma película que pode ser identificada pelo profissional cirurgião-dentista ao realizar uma avaliação no paciente. Essa película fica alojada no dente o colocando em contato com bactérias e restos de comida.

Os principais sintomas são dores e desconfortos na região dos dentes.

A forma de evitar essa doença é cuidar de maneira assídua da higiene bucal. Escovando sempre os dentes ao se alimentar e mantendo consultas rotineiras ao especialista.

#3- Gengivite:

A gengivite é uma doença bucal que afeta a região da gengiva, ocasionando muita dor e incomoda nessa parte da boca. Ademais seus sintomas incluem dentes moles e sem força para mastigar ou morder. Como também dores incessantes, que causam muito desconforto no paciente.

Como motivação a gengivite e causada por bactérias que acabam lesionando e inflamando a região da gengiva.

Para evitar sofrer com essa doença além dos cuidados com higiene e alimentação outro ponto essencial e manter sua rotina de idas ao dentista em dia.

#4- Doenças Bucais: Aftas

Inegavelmente você já deve ter tido alguma delas, as aftas aparece tanto nas bochechas como na língua e costumam causar dor e irritação. Ocasionados por bactérias que são ingeridas através da alimentação principalmente de comidas com açúcar é gorduras.

Seus sintomas incluem dor e desconforto, e podem aparecer tanto em formato branco é visível como escondidas.

Para evitar o segredo é cuidar da sua alimentação, preferindo sempre comidas verdes e se afastando dos doces. Bem como ter rotina de escovação e passagem de fio dental faz toda diferença.

 

#5- Tártaro

Outras das doenças bucais muito comuns são os tártaros. Ocasionado por bactérias que atingem a região dos dentes quando a placa bacteriana não é removida.

Dessa maneira a situação fica ainda mais grave e as dores passam a incomodar cada vez mais.

Para evitar você deve realizar a remoção das placas com o profissional capacitado. Evitando que elas acabem se tornando tártaro.

#6- Doenças Bucais: Halitose

A halitose e a doença bucal responsável por causar mal hálito. Em outras palavras, por consequência dela um mal cheiro é produzido pela boca. E além desse outros sintomas que podem ser desenvolvidos é gengivite e cáries.

A halitose é causada por ausência da higiene e dos cuidados com a saúde bucal.

Para evitar além de escovação e higiene adequada você precisa consultar o seu cirurgião-dentista de confiança e manter a sua saúde bucal em dia.

#7- Erosão no esmalte dental:

De fato, outro problema que acomete um significativo número de pessoas é a erosão no esmalte dental. Ocasionando com que dentes fiquem com a coloração amarela.

Essa doença bucal está ligada a ausência de cuidados de higiene. Bem como a alimentação principalmente para quem come muito doce. As bactérias dos alimentos acabam ocasionando a erosão nos dentes.

Para evitar esse tipo de problema o segredo é além de cuidar da higiene se consultar ao menos uma vez a cada seis meses no seu dentista. Realizando procedimentos de limpeza e higienização.

Por fim essas são as 7 principais doenças bucais e as formas de evitá-las. Esteja sempre em dia com os cuidados da saúde dos seus dentes e da boca em geral.

Para realizar uma avaliação com profissional capacitado a te auxiliar a evitar doenças bucais entre em contato com a clínica Ichiban e agende sua consulta

 

Você tem usado o Fio Dental? A cada 6 brasileiros somente 1 usa fio dental.

 

É o que diz uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Acontece que, quando uma pessoa não usa o fio dental, deixa de limpar 35% dos dentes (região onde a escova não alcança). O fio dental é parte importante na higiene bucal, pois auxilia na remoção de alimentos e da placa bacteriana, evitando gengivite, periodontite, cáries, mau hálito, e outros problemas.
Em geral, recomenda-se o uso do fio de filamento único (PTFE), que é mais resistente, sem risco de se romper durante a limpeza. Esse fio também desliza mais facilmente até pelos dentes mais apertados. Para quem usa aparelho ortodôntico, o fio é ainda mais essencial. O paciente pode contar com a ajuda do passa fio, um tipo de agulha plástica que facilita a passagem entre os bráquetes e os dentes.
O ideal é fazer a higienização com o fio dental ao menos uma vez ao dia (de preferência antes de dormir), passando cuidadosamente ao redor da base de cada dente, entre eles e dentro da gengiva, de cima para baixo.
Em caso de dúvidas, peça a orientação do seu dentista.

Harmonização Facial e Toxina Botulínica (Botox)

Além de aliada na amenização dos sinais da idade, a toxina botulínica vem ganhando cada vez mais espaço nos consultórios como um valioso recurso em tratamentos terapêuticos, dentre elas podemos destacar:

  1. A) Aplicação nos músculos mastigadores na presença de Bruxismo e Apertamento dental, nos casos de Hipertrofia do Masséter e diminuir a força mastigatória previamente à implantes dentários imediatos.
    B) Correção de assimetrias e minimizar a exposição gengival no sorriso;
    C) Diminuição da Sialorréia, ou seja, da salivação em excesso;
    D) Remover ou suavizar marcas de expressões faciais.

Atualmente o Botox tem por finalidade a harmonização facial em sua amplitude.

Ácido Hialurônico

O procedimento é muito utilizado por pacientes que buscam não só minimizar rugas, como também realizar pequenas alterações para harmonização do rosto, como a suavização das olheiras, aumento dos lábios, melhora na projeção do queixo e da mandíbula, aumento da convexidade da testa, sustentação do lóbulo da orelha, no tratamento de cicatrizes etc.

O uso da toxina botulínica e dos preenchedores faciais pelo cirurgião-dentista está autorizado para fins terapêuticos funcionais e/ou estéticos, conforme regulamentação do CFO 176/2016

Mitos e verdades sobre o flúor na Odontopediatria

Primeiramente, você sabe o que é flúor? Flúor é um elemento químico mineral natural encontrado em toda crosta terrestre. Ele tem função oxidante e um alto poder corrosivo e é adicionado em PEQUENA CONCENTRAÇÕES NA ÁGUA DE ABASTECIMENTO PÚBLICO  e nos cremes dentais pois é um grande preventivo contra a cárie.

Ele também é encontrado em alguns alimentos como verduras, legumes e proteínas, o peixe é um exemplo de alimento com bastante flúor.

Mesmo tão presente na vida dos dentistas e dos pais das crianças, o flúor na Odontopediatria ainda traz algumas dúvidas.

O Flúor faz bem para a saúde bucal das crianças e adolescentes?

Sim, ele é muito benéfico para a prevenção de cáries se for utilizado na dosagem correta. Ele trabalha nos processos de desmineralização e remineralização que ocorrem na boca e além disso, auxilia a endurecer o esmalte dos dentes permanentes que já nasceram.

As crianças podem utilizar cremes dentais e enxaguantes bucais?

Você que é pai ou mãe deve ter muito cuidado pois a criança ainda não tem muito controle com a deglutição (ato de engolir). O mais indicado para as crianças é uma quantidade de 0,3g, o equivalente a um grão de arroz. Desta forma, sempre com um adulto por perto, a quantidade é correta para continuar com a prevenção anticárie.

 

O flúor previne cáries?

Ele é ótimo elemento na prevenção delas. Porém, a escovação remove a placa bacteriana juntamente com a utilização do fio dental. Essa soma de fatores é o que ajuda a combater a cárie.

 

O uso do flúor pode trazer riscos à saúde da criança e do adolescente?

É preciso ter muito cuidado com ele. O uso exagerado pode causar intoxicação aguda e caso a criança engula muito o flúor no período de crescimento dos dentes, pode acontecer o que é chamado de fluorose dental. Que é uma doença que interfere no crescimento do dente esteticamente e estruturalmente.

 

É necessário o dentista fazer aplicação de flúor periodicamente?

O dentista faz sim a aplicação de flúor na consulta médica para complementar os benefícios dele e fortalecer os dentes.

Com esses mitos e verdades sobre o flúor na Odontopediatria você pode concluir que o elemento químico é benéfico para o desenvolvimento dental da criança e do adolescente.

Utilizado com controle dos pais, sem exagero, e somado com uma boa escovação, a prevenção contra as cáries está no caminho certo. Espero ter tirado todas as suas dúvidas!

Estamos te esperando,

Clínica Ichiban

Quando é realmente necessário retirar o siso? Existe o momento ideal!

Eles podem ser uma verdadeira dor de cabeça, ou melhor dor no dente, retirar o siso nem sempre é necessário mas é importante saber quando é fundamental você se livrar desse dente que é indesejado por tanta gente.

 

Nem sempre a remoção é necessária

Ao contrário do que muita gente acredita, nem sempre é necessário retirar o siso. Existem alguns casos raros em que o siso não atrapalha nem a saúde, nem geram incômodo, se o seu siso possui os requisitos abaixo, fique tranquilo pois sua única preocupação será mantê-los limpos e saudáveis:

 

  • Crescido completamente (completamente irrompido)
  • Posicionados corretamente e mordendo corretamente com os dentes opostos
  • Capaz de ser limpo como parte das práticas diárias de higiene
  • Estão saudáveis, isso é, possuem a saúde de um dente normal

 

Mas lembre-se, quem pode dar o laudo é o dentista e mesmo que seu siso não esteja incomodando, isso não quer dizer que ele possui todos os requisitos aqui citados, por isso conversar com um dentista é fundamental, assim que perceber que ambos ou apenas um siso estão nascendo.

 

Quando sei que realmente preciso retirar o siso?

 

Não há uma idade definida, a remoção do siso pode variar de pessoa a pessoa. No entanto, retirar o siso é necessário quando o dente não têm espaço para crescer adequadamente, que pode acabar causando uma série de sérios problemas como:

 

  • Infecção ou um cisto que pode danificar outras raízes ou suporte ósseo (quando o siso não sai da gengiva)
  • Criar uma passagem que pode se tornar um ímã para bactérias que causam doenças nas gengivas e infecções orais (quando o siso saí parcialmente da gengiva)
  • Eles podem se amontoar ou danificar os dentes próximos.

 

Além destes, podem surgir outros problemas que variam de indivíduo à indivíduo. De acordo com a American Dental Association, retirar o siso é necessário se você experimentar alterações na área desses dentes, tais como:

 

  • Dor
  • Infecção repetida de tecido mole atrás do último dente inferior
  • Sacos cheios de fluido (cistos)
  • Tumores
  • Danos aos dentes próximos
  • Gengivite
  • Extensa cárie dentária

 

No entanto é importante lembrar que nem sempre a decisão sobre retirar o siso é clara, estes são sintomas de que você precisa estar alerta, mas é a frequência a um dentista especializado que realmente irá definir qual o momento ideal para retirar o seu siso! Você pode entrar em contato agora mesmo com um especialista, através desse link: https://www.clinicaichiban.com.br/contato/

Estamos te esperando 🙂
Equipe Ichiban.  

Mãe, você sabe o que fazer quando os dentes do bebê estão nascendo?

Maio é o mês das mães, e a clínica Ichiban quer oferecer uma dica importante sobre o que fazer quando os dentes do bebê estão nascendo. Para criança pode ser muito incômodo e para os pais mais uma preocupação, dar brinquedos para o bebê morder não é a melhor opção!

 

Como saber que os dentes do bebê estão nascendo

Apesar de ser um momento de felicidade também pode ser um momento desafiador, tanto aos pais quanto para criança, por isso é importante entender o que o seu bebê está tentando te transmitir sobre dor ou incômodo e descobrir de cara se são os dentinhos nascendo.

 

É relativamente simples, se seu filho está entre 4 à 6 meses de idade, têm se mostrado mais irritadiço e colocando tudo que vê na frente na boca, se prepare pois esses são os principais sinais de que os dentes do bebê estão nascendo.

 

O primeiro passo é checar a gengiva da criança, se estão avermelhadas e inchadas para confirmar, assim como um aumento significativo da saliva. O segundo passo e ficar tranquilo pois com as dicas e o apoio certo, essa fase vai ser mais gratificante do que preocupante.

 

O que fazer se os dentes do meu bebê estão nascendo?

Por conta do excesso de saliva que está sendo produzido você pode manter o queixo do bebê e a boca sempre secas para evitar irritações e erupções cutâneas, o que só deixará o bebê mais desconfortável, certifique-se de que o pano para limpá-lo está devidamente limpo.

 

Esfregar as gengivas delicadamente com um pano macio e úmido pode oferecer grande alívio ao seu bebê. Ele irá estimular as gengivas e criar uma sensação de massagem. Para um efeito de entorpecimento adicional, coloque o pano na geladeira ou experimente uma colher esterilizada gelada.

 

Se o seu bebê já começou a comer sólidos, você pode dar frutas frias ou legumes como cenouras e pepinos para roer (apenas certifique-se de sempre ficar de olho neles enquanto comem).

 

Evite a qualquer custo que seu bebê fique colocando qualquer objeto e brinquedo na boca, pois podem estar cheios de bactérias que por sua vez podem causar infecções, além disso fique de olho nos pequenos objetos.

 

Procure um dentista especializado

Poucos pais sabem mas o acompanhamento odontológico pode ser feito desde a infância, é claro que não tão cedo, mas ter o contato de um dentista de confiança é uma boa ideia para quando os dentes do bebê estiverem um pouco mais “maduros”.

 

Você irá precisar de acompanhamento para saber como cuidar dos dentes de seu filho, assim como para garantir dentes e boca saudáveis.

 

Existem aparelhos e produtos que são desenvolvidos especificamente para ajudar a amenizar o incômodo e ajudar nesta fase. O dentista poderá te ajudar a entender quais as melhores opções para cuidar da boca da criança.

 

É importante lembrar que você precisa procurar um dentista especializado em crianças. Na clínica Ichiban, a Dra. Leidielly é a responsável por tratar os pequenos. Quer agendar uma conversa ou uma consulta? Este é o contato: https://www.clinicaichiban.com.br/contato/

Estamos te esperando 🙂
Equipe Ichiban.  

Dentes de leite: o que fazer quando os dentes estão nascendo?

Os famosos dentes de leite, chamados dentes decíduos, são sempre um ponto de interrogação para os pais, principalmente os de “primeira viagem”. Durante o primeiro ano de vida, nascem os primeiros dentes do bebê. Cada criança reage de uma forma e os pais precisam ser pacientes  para lidar com os sintomas, que podem incluir irritação e vermelhidão na gengiva.

 

Para ficar mais fácil entender quais são os cuidados necessários, é muito importante que os pais conheçam a cronologia da erupção dos dentes de leite. Mas vale ressaltar que cada organismo tem seu próprio ritmo. De qualquer modo, os primeiros aparecem por volta dos seis meses de vida.

 

Os primeiros dentes de leite

Como dissemos, os primeiros dentes de leite a erupcionar surgem por volta dos seis meses de idade e são os incisivos centrais inferiores. Por volta de um ano, surgem os incisivos centrais superiores e os laterais. Aos 18 meses, erupcionam os primeiros molares de leite e, aos dois anos e meio, a dentição (de leite) fica completa com os caninos e segundos molares, formando os 20 dentes de leite que constituem as arcadas.

 

Sintomas

Durante a dentição, alguns bebês ficam mais agressivos do que o habitual por causa da dor e inchaço nas gengivas. Os sintomas geralmente aparecem cerca de três a cinco dias antes do dente nascer (mas há casos em que duram semanas), e desaparecem assim que  os dentes rompem a pele. Mas há alguns bebês sortudos que não sofrem absolutamente nada com o nascimento dos primeiros dentinhos.

 

Nessa fase o bebê passa a ficar mais tempo com os seus brinquedos pelo chão e acaba colocando a mãozinha na boca mais vezes por causa do desconforto gengival. Esta pode ser a causa das diarreias, vômitos e febre. Estes sintomas não estão relacionados diretamente ao nascimento dos dentes de leite, mas ao contexto em que ele acontece e em como a criança age para aliviar o incômodo.

 

Como aliviar os sintomas

Quando os dentes de leite nascem, a sensação traz desconforto mesmo. Para aliviar, os mordedores são ótimas opções, já que que ajudam a criança a coçar a gengiva. Alguns modelos podem ser colocados na geladeira. A baixa temperatura ajuda a amenizar a dor.

 

Outra coisa importante é não deixar de higienizar os dentes da criança. É importante não ficar com pena do bebê por causa da irritação e desconforto e pular essa parte. A falta de higienização pode levar a infecções e outros problemas maiores.

 

Dessa maneira, quando aparecerem os primeiros dentes da frente, a limpeza deve ser feita com um tecido macio e limpo, umedecido em água limpa. Já quando surgirem os outros dentes, a limpeza já pode ser feita com uma escova de dente macia e sem pasta de dente, apenas molhada em água limpa.

A pasta de dente pode começar a ser utilizada quando o bebê tiver todos os dentes de leite. Durante a infância, é recomendável que use a pasta infantil, pois possui flúor em quantidade recomendada para a idade. Para tirar dúvidas a esse respeito, consulte um dentista.

É importante procurar um profissional de confiança. Entre em contato com a gente e agende uma avaliação. Temos excelentes profissionais para atender o seu filho! Clique aqui!

 

Continue acompanhando o blog para saber mais sobre saúde bucal. No artigo anterior, falamos sobre sensibilidade nos dentes. Siga também as nossas redes sociais e tenha acesso a curiosidades, informações e dicas que farão toda a diferença no seu bem-estar e qualidade de vida.

 

Abraços,

Clínica Ichiban

Dentista em Londrina | Clínica Ichiban | Precisão Oriental em Odontologia

Ortodontia: qual a melhor idade para colocar aparelho nos dentes?

É muito comum ver por aí adolescentes usando aparelho nos dentes, né? Mas apesar de ser a fase mais comum para utilizá-lo, não é a única. Não existe uma idade correta para aderir o tratamento, mas será que existe a mais indicada? É sobre isso que falaremos no artigo.

 

Já adiantamos que não existe idade mais indicada, mas existem cuidados específicos que cada fase exige. Por exemplo, na infância, a atenção é voltada principalmente às cáries que a higienização incorreta pode causar. Já os idosos, devem tomar cuidado com doenças como xerostomia, conhecida pela sensação de boca seca, por exemplo.

 

Aparelho nos dentes

Como dissemos, o aparelho nos dentes pode ser utilizado em qualquer idade, desde crianças até idosos, vai depender da finalidade proposta e precisa ser avaliado pelo dentista.

 

O que muita gente não sabe é que os aparelhos não precisam ser utilizados apenas em caso de dentes tortos ou desalinhados, por isso, a avaliação pode ser cedo, quando a criança estiver na primeira fase da troca de dentição, que acontece por volta dos 6 anos.  Nesse momento, já é possível o profissional fazer uma análise de mordida cruzada, mordida em topo, cáries, estrutura óssea, entre outras.

 

Dependendo do que o dentista notar, ele pode intervir com aparelho nos dentes. É possível obter excelentes resultados com os ossos da face que ainda não estão completamente calcificados e fazer as correções necessárias, como de quem tem céu da boca estreito, por exemplo. Nesse caso, é preciso um acompanhamento nas trocas dentárias pelos anos seguintes. Lembrando que não são todos os casos e são aparelhos específicos.

 

E os adultos?

Muitos se preocupam com a questão estética, acreditando que aparelho nos dentes é coisa de adolescente e que depois de certa idade é feio. Se você pensa assim, não se preocupe! Hoje, existem várias opções que unem estética e saúde, com aparelhos quase imperceptíveis. O mais recomendado os os aparelhos fixos que são mais rápidos e eficazes, mas novamente vale ressaltar que cada caso é um caso.

 

Depois dos 60 anos, o aparelho nos dentes precisa de um cuidado diferenciado porque, diferente dos mais jovens, há alterações no tecido ósseo que sustenta os dentes, o que normalmente gera perdas dentárias. Justamente, por isso, o tratamento deve ser mais suave e o aparelho não pode exercer uma força tão grande nos dentes.

 

É importante procurar um profissional de confiança e, claro, comparecer em todas as consultas de manutenção. E se quiser saber mais sobre os tipos de aparelhos dentais, entre em contato conosco e agende uma avaliação. Temos excelentes profissionais para te atender! Clique aqui!

 

Abraços,

 

Clínica Ichiban 

Dentista em Londrina | Clínica Ichiban | Precisão Oriental em Odontologia

Tipos de aparelhos dentais: diferenças e indicações

É dito e feito, a maioria das pessoas que entra em um consultório com a suspeita de usar aparelho nos dentes é: “Quando? Fixo ou móvel? Tem colorido?”, mas depois que passa a novidade e uma possível empolgação, a dúvida seguinte é se vai tirar logo. Você ou alguém que você conhece, certamente já utilizou essa maneira de corrigir os dentes, mas você sabe quais os tipos de aparelhos dentais que existem?

 

Vamos expor aqui um pouquinho do universo ortodôntico para explicar os mais comuns. No geral, eles são divididos em fixos, quando não é possível retirá-los, e móveis, quando eles podem ser removidos em momentos específicos do dia. Mas ainda existem outras especificações com relação aos tipos de aparelhos dentais. Acompanhe no artigo:

 

Tipos de aparelhos dentais

Utilizamos acima a palavra “ortodôntico” porque são os mais comuns e realizam pequenas movimentações dentárias, mas também existem os ortopédicos, utilizados nas correções de alterações ósseas de crescimento.

 

Aparelhos ortopédicos: são colocados em crianças e adolescentes durante a fase de crescimento, inibindo ou estimulando o desenvolvimento dos ossos, ou ainda, redirecionando uma tendência de crescimento desfavorável. São contra-indicados para adultos, porque já passaram da fase de crescimento.

 

Aparelhos fixos: são compostos por bráquetes que podem ser metálicos, plásticos ou de porcelana, que suportam o arco metálico. Esse tipo de aparelho entre os dentes superiores e inferiores causam um melhor engrenamento e alinhamento, proporcionando um sorriso equilibrado.

 

Aparelhos móveis: movimentam mais lentamente os dentes e de maneira bastante limitada. Não são recomendados para todos os casos.

 

Aparelho lingual: existem aquelas pessoas que não querem de jeito nenhum que o aparelho apareça, então existem algumas possibilidades mais estéticas, porém, não são recomendadas para todos os casos. No aparelho lingual, por exemplo, os braquetes ficam na parte interna dos dentes, o que não interfere no visual do sorriso. Porém, por estar em contato direto com a língua, ele exige um tempo maior de adaptação. Geralmente, é indicado para tratamentos mais rápidos e menos complexos.

 

Autoligável: sabe as famosas borrachinhas do aparelho fixo tradicional? Não existem nesse. Ele possui uma tecnologia que segura o fio que liga os braquetes. E melhor ainda, diminui consideravelmente o tempo do tratamento, já que é mais eficiente, além de contribuir para a higiene. Sem as borrachas, a limpeza é facilitada.

 

Alinhador: esse é um dos tipos de aparelhos dentais mais comuns, que unem estética e funcionalidade. É removível e transparente, praticamente imperceptível no sorriso. As placas são desenvolvidas de acordo com a arcada dentária de cada paciente e faz uma movimentação gradual dos dentes até que o resultado seja alcançado.

 

Esses são alguns dos tipos de aparelhos dentais mais famosos, mas existem muitos outros que são escolhidos pelo dentista para cada caso. Lembrando que é muito difícil prever quanto tempo dura um tratamento, porque depende de vários fatores como resposta biológica do organismo, tipo de má oclusão, tipo de aparelho indicado e colaboração do paciente.

 

É importante procurar um profissional de confiança e, claro, comparecer em todas as consultas de manutenção. E se quiser saber mais sobre os tipos de aparelhos dentais, entre em contato conosco e agende uma avaliação. Temos excelentes profissionais para te atender! Clique aqui!

 

Abraços,

 

Clínica Ichiban